Anualmente, a Associação Portuguesa de Museologia (APOM) premeia as instituições e os projetos museológicos que mais se evidenciaram em diversas áreas, como a comunicação, a investigação, a conceção de exposições temporárias, a educação, entre outros. Este ano, a 25.ª edição da atribuição dos prémios, que decorreu online no dia 10 de dezembro, juntou, à distância, os representantes das principais instituições culturais portuguesas.

A exposição temporária O Gosto pela Arte Islâmica. 1869-1939, que decorreu entre 12 de julho e 7 de outubro de 2019, foi distinguida com o prémio «Exposição Temporária». Com curadoria de Jessica Hallett, esta mostra reuniu obras do núcleo de arte islâmica da Coleção Gulbenkian e de outras importantes instituições internacionais, debruçando-se sobre o fascínio do colecionador e dos seus contemporâneos pelo «orientalismo».

Numa altura em que o conceito de «arte islâmica» começava a ganhar forma e influenciava os movimentos artísticos na Europa, a exposição procurou aprofundar o conhecimento acerca das relações entre colecionismo e Realpolitik, identificando as notáveis sinergias entre as aquisições de Gulbenkian entre 1900 e 1930 e os desenvolvimentos paralelos no campo da «Arte Islâmica».

Aspetos da exposição O Gosto pela Arte Islâmica © Pedro Pina

Aspetos da exposição O Gosto pela Arte Islâmica © Pedro Pina 
Aspetos da exposição O Gosto pela Arte Islâmica © Pedro Pina

Aspetos da exposição O Gosto pela Arte Islâmica © Pedro Pina 
Aspetos da exposição O Gosto pela Arte Islâmica © Pedro Pina

Aspetos da exposição O Gosto pela Arte Islâmica © Pedro Pina 
Aspetos da exposição O Gosto pela Arte Islâmica © Pedro Pina

Aspetos da exposição O Gosto pela Arte Islâmica © Pedro Pina 

A exposição foi acompanhada de um catálogo, disponível para venda nas lojas da Fundação Calouste Gulbenkian. Profusamente ilustrada, esta publicação contou com a colaboração de vários especialistas internacionais.

Source link

Avatar

Fundacao Calouste Gulbenkian

Uma Fundação portuguesa para toda a humanidade

Nascida em 1956 como uma fundação portuguesa para toda a humanidade, destinada a fomentar o conhecimento e a melhorar a qualidade de vida das pessoas através das artes, da beneficência, da ciência e da educação. Criada por testamento de Calouste Sarkis Gulbenkian, a Fundação tem caráter perpétuo e desenvolve as suas atividades a partir da sua sede em Lisboa (Portugal) e das delegações em Paris (França) e em Londres (Reino Unido).

View all posts

Advertisement

Advertisement

error: Content is protected !!